Por onde andava o Jornalismo Investigativo enquanto a “Velha Senhora” ou a “Criança delinquente” saqueavam o futuro do Brasil?

Velha
senhora ou uma criança de 12 anos? Enquanto a corrupção tomava conta do Brasil
onde estava a imprensa do país e os Jornalistas investigativos?
Reinaldo Cruz
Questão Brasil
A briga de daqueles que querem
continuar no poder ou retomar o controle do país tem levantado questões que os
brasileiros até têm as respostas, afinal de contas a corrupção é uma velha
senhora que tomou de assalto o Brasil ou é uma criança de 12 anos que começou a
agir só depois que o PT alcançou o poder. O cidadão brasileiro tem a percepção
de que são as duas coisas, a corrupção não começou ontem, mas em nenhum momento
foi combatida pelo Partido dos Trabalhadores nestes quatro mandatos à frente da
República.

Outro dia o apresentador do
SBT, Danilo Gentile, disse numa rede social que não há diferença entre Tucanos
e Petistas em termo de corrupção, apenas um detalhe diferenciam um do outro: o
PT por estar no poder está robusto e forte; o PSDB por não ter o controle do
país está raquítico e fraco. A moral da história então é que se o pessoal da
ala intitulada direita retomar o poder podem se alimentar das riquezas deste
país e ficar tão ou mais forte do que o PT nestes 12 anos.

O Brasil sempre foi
considerado o país do futuro, mas com as revelações de esquemas de corrupção
nas últimas décadas, o sentimento dos brasileiros é de que este promissor
futuro também foi roubado por alguém que esta enrolado num destes escândalos
que vem sendo revelados pela Polícia Federal. As denominações das operações da
PF são curiosas e dividem o país entre defensores e acusadores, mas tirando a
classe política, todos os brasileiros estão sendo roubados descaradamente, não
por um partido como muitos querem que as pessoas entendam, mas sim pela classe
política como um todo.

Todo tipo de generalização é
perigosa, mas não quando se tem políticos envolvidos, nenhum governante ou
parlamentar deste país está preocupado com os direitos dos brasileiros que eles
dizem representar, buscam mandatos para garantir regalias que os cargos podem
lhe oferecer e é só isso que conta quando os oportunistas não tem a chance de
meter a mão no dinheiro do povo, dinheiro este que poderia ser a garantia do
cidadão em ter Saúde, Educação, Segurança e Cidadania plena.

Se a corrupção é uma “velha
senhora” como disse a Presidente da República e vem agindo nas sombras do poder
à décadas porque o Governo do PT não investigou e puniu os antigos algozes da
esperança dos brasileiros¿ Ou se estes mal feitos e mal feitores só apareceram
depois que o PT foi ungido ao poder, porque a sociedade brasileira, os partidos
de direita e as instituições judiciárias não coibiram os roubos, desvios e atos
de corrupção antes que a criança completasse uma década no poder.

A PF tem seus diretores
nomeados pelo Governo, também é prerrogativa do Presidente da República indicar
os nomes que compõe o STF, e convenhamos que o Ministério Público só funciona
quando suas ações ganham notoriedade e respaldo da imprensa que faz chegar até
o povo o conhecimento sobre o mal feito praticado pelos corruptos, que na sua
ampla maioria são políticos, e corruptores que pagam “ninharias” em propinas e
depois se apropriam do rico patrimônio que seria a garantia dos brasileiros de
seu acesso aos direitos básicos assegurados pela Constituição.

Velha senhora ou apenas uma criança? 

Este é o detalhe que menos importa nesta questão, os roubos e a corrupção vem
tirando do país do futuro justamente a sua esperança de futuro. Pequenos
desvios ou atos de corrupção gigantescos que chegam a casa dos BILHÕES tem o
mesmo peso quando se trata de dinheiro público, áreas vitais para levar o bem-estar
a toda a sociedade é prejudicada por ter seus orçamentos limitados enquanto os malfeitores
ganham horrores com a corrupção ilimitada que vem tomando conta de toda a mídia.

A imprensa, através de seus
Jornalistas investigativos, por onde andou nos últimos 25 anos¿ Cumprindo suas
funções é que não era, pelo menos no que tange os grandes escândalos que vem
assolando o Brasil, os detalhes que surgem na mídia geralmente são plantados ou
vazados seletivamente por alguém que tem interesse que o circo pegue fogo.
O Jornalismo também tem
sofrido golpes mortais em todas estas situações, pois não anda sendo peça chave
para desvendar os crimes, sequer quem sido parte da engrenagem que jogue um
feixe de luz nas sombras da corrupção que já parece fazer parte da paisagem brasileira,
de tão clara que tem sido as escabrosas situações que envolvem a velha senhora
ou criança em formação.

Não há como almejar punições
exemplares se os jornalistas não levarem ao conhecimento da população tudo o
que envolve as operações da PF, o andamento dos casos na Justiça ou o desfecho
dos julgamentos de corruptos e corruptores. Muitos podem até imaginar que isso
já vem acontecendo, mas discordo da forma como a mídia em geral tem tratado os
casos distintos, pois a imprensa está deixando de lado o seu papel vital em
casos que envolvem o poder público e se tornando uma caixa de ressonância que
só repete o que alguns querem ouvir, acaba tomando partido de que deveria estar
sendo inquirido à dar explicações de seus atos.

As redes sociais são um
importante instrumento para que o cidadão comum dê sua opinião sobre todos os
tipos de assuntos, tem sido fundamental para medir audiências de programas de
TV e fundamentais no quesito Liberdade de Expressão, mas mesmo tendo a sua
importância, as redes sociais conduzidas por cidadãos comuns não devem, ou pelo
menos não poderiam estar fazendo o papel da imprensa que é trazer o fato novo
sem deixar de dar voz aos dois lados envolvidos na questão. Nas Redes Sociais
acontece do internauta sair divulgando notícias sem chegar a veracidade dos
fatos, o que acaba contribuindo para que boatos ou inverdades sejam propagadas
sem controle e influenciando no julgamento de valores dos brasileiros.

Aliás, pré-julgamentos é que
mais ocorre na web de hoje, o que deixa de ser apenas o direito de se expressar
acaba se tornando um tribunal para promover verdadeiros linchamentos públicos
de pessoas citadas nos escândalos e quase sempre não tem o direito de defesa
respeitado porque a #hastag tal foi a mais compartilhada em determinada rede
social, o que para muitos é sinônimo de verdade absoluta do que foi compartilhado
na rede mundial de computadores.

Para não ferir o direito a
Liberdade de Expressão, não há questionamentos sobre a veracidade dos fatos que
são publicados aqui ou ali, o que circula na web tem pautado a grande mídia nos
últimos tempos. Recentemente a Rede Globo aderiu a esta prática, foi o último
veículo de comunicação à aceitar que a web tem relevância no que o
telespectador, leitor ou ouvinte quer ver no seu dia à dia. Com isso as pautas
investigativas vão ficando de lado, o que vai ao ar como discussão são apenas
os questionamentos que as pessoas fazem nas suas páginas pessoais,
invariavelmente o destaque é justamente aquilo que a pessoa compartilhou como
sendo legal, engraçado ou nos casos mais preocupantes uma verdade absoluta.

Velha senhora ou criança
inocente, a idade da corrupção pouco importa para os brasileiros, quem roubou
ou o quanto roubou é que deve ser questionado sempre. A briga entre situação e
oposição levam legendas a travar verdadeiras guerras virtuais pelo controle de
grandes fatias de determinadas redes sociais, mas e a imprensa tem cumprido o
seu papel neste novo campo de batalha pela simpatia do internauta. Se a chamada
grande mídia tem se deixado pautar pela web, com os pequenos comunicadores não
tem sido diferente e alguns até se prestam ao papel de ser advogado de defesa
ou promotor, principalmente nas questões políticas. A imprensa com seus
Jornalistas investigativos tem se omitido após ascensão dos novos meios de
comunicação, meios que democratizaram o jeito de se comunicar, mas que está longe
de conseguir fazer o papel que cabe ao jornalista que busca um furo de
reportagem.

Condenar ou absolver pode ser
uma prerrogativa do internauta que tem ou não simpatia por determinada pessoa
exposta na rede, a Liberdade de Expressão dá ao cidadão o direito de expressar
a sua opinião, mas jamais poderá substituir o papel investigativo do Jornalista
que precisa buscar a verdade dos fatos tendo como base a obrigação de ouvir
sempre os dois lados. 

Exclusivo: as provas que Ricardo Pessoa entregou à Justiça | Brasil | Notícias | VEJA.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s